Faça dinheiro sem esforço

sábado, 9 de fevereiro de 2008

O REGICÍDIO FOI HÁ CEM ANOS

1 de Fevereiro de 1908


Apontamento Literário
«Pátria (1896), de Guerra Junqueiro, é o primeiro texto literário que expressa o ódio a D. Carlos, e a extinção da dinastia régia proposta no final nasce do desejo de vingança pela cedência ao Ultimato inglês, um evento que foi, segundo uma brilhante imagem estilística de Nuno Severiano Teixeira, o Outono da Monarquia e a Primavera da República. Neste poema, o rei é tratado como um porco, símbolo da luxúria e da ignorância, estando ainda implícita uma traição de D. Amélia».

António Martins Gomes, in Jornal de Letras (n.º 974)


E o rei!... olhem o rei!... que rei de entrudo!...
Um porco em pé, com manto de veludo
E coroa na cabeça, a andar, a andar!
Mas reparem... tem cornos! é cornudo!
Dois chavelhos de boi no seu lugar!
Um rei, que é porco e tem chavelhos!
Um rei, que é porco e tem chavelhos!
Que fantasia! enlouqueci... ando a sonhar!...
Mas bem no vejo! eu bem no vejo,
Coroa de rei, tromba de porco e chifres no ar!..

/.../

Beija-lhe a corte as patas e o traseiro...
E ele a grunhir! e ele a roncar!...


Guerra Junqueiro, Pátria


1 comentário:

Lopo disse...

Porco é quem escreve assim,seja contra o Rei que se odeia,seja contra um vizinho.