Faça dinheiro sem esforço

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Filme "Um Amor de Perdição", de Mário Barroso


Dia 17 de Abril

Antestreia do filme "Um Amor de Perdição"

O auditório da Casa de Camilo, em S. Miguel de Seide, Famalicão, acolhe dia 17 a antestreia do filme "Um Amor de Perdição", uma adaptação de Mário Barroso do romance de Camilo Castelo Branco.

Fonte do organismo indicou hoje [7 de Abril] à Lusa que o filme, que se estreia nas salas de cinema dia 23, "é a quarta versão do eterno 'Amor de Perdição' da autoria do grande romancista".

Além de já ter dado origem a quatro filmes (um deles pelo realizador Manoel de Oliveira), o romance de Camilo já inspirou inúmeras adaptações teatrais e o próprio livro continua a ter sucessivas edições, assinalou a fonte.

A cerimónia conta com as presenças do realizador e dos actores Tomás Alves e Catarina Wallenstein, entre outros.

"Um Amor de Perdição", de Mário Barroso, é a história de um encontro entre Simão e Teresa, sobre um fundo de conflito entre duas famílias da burguesia.

Na introdução ao catálogo do filme, o realizador diz: "Simão é um adolescente quase criança, solitário, intransigente, narcisista, destrutivo e suicidário que atrai como uma aura fatal, uma luz negra, a maior parte das pessoas com quem se cruza. Mas Teresa existe, ou é apenas uma ideia, uma imagem, um reflexo? Teresa é uma aparição. Um pretexto para uma revolta amoral e violenta".

"Ao adaptar o romance ao cinema pretendi concentrar-me naquele que considero ser o real mote impulsionador da história: a obstinação, a história de oposição que leva à auto-destruição do herói e não tanto a história de amor proibido entre dois adolescentes", explica.

"'Um Amor de Perdição' - diz ainda - é, essencialmente, Simão Botelho. O adolescente que não reconhece autoridade nem moral porque vive fora dela, tem a sua própria ética que o vai levar até ao fim aniquilador, como se de algo inevitável se tratasse. Mais do que uma história de paixão, uma história de violência e rivalidade".

O filme foi produzido por Paulo Branco e conta com Tomás Alves, Patrícia Franco, Catarina Wallenstein, Ana Padrão e Willion Brandão nos principais papéis. O argumento adaptado é de Carlos Saboga e a música de Bernardo Sassetti.

Em Março, o filme foi seleccionado para o Festival de Cinema Independente de Buenos Aires e integrou ainda a selecção oficial do Festival Internacional de Cinema de Las Palmas, em Espanha.



Sem comentários: