Faça dinheiro sem esforço

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Promoção do desenvolvimento e da aprendizagem da criança

Aqui ficam alguns excertos de um texto de Margarida Pocinho, Doutorada em Educação – Especialidade de Psicologia da Educação, acerca do tema em epígrafe. Achei interessante e, por essa razão, relevante para o Dizedores.

"É do conhecimento geral que, antes de ingressar no 1º Ciclo do Ensino Básico, a criança já adquiriu uma quantidade considerável de saberes.

Desde muito pequena, a criança adquire, progressiva e rapidamente, uma série de conhecimentos, desde os primeiros contactos sensoriais, em bebé, até à iniciação da leitura, no final da pré-escolaridade."

...................................................

"(...)Começa a aprender as regras de convivência em sociedade, aprende que não deve fazer determinadas coisas. Aprende as expressar as suas emoções, demonstra carinho e agride os outros, quando contrariada. Aprende a identificar símbolos, aprende a desenhar; identifica sons, aprende a cantar; identifica mesmo palavras escritas. Algumas crianças aprendem a ler e a escrever virtualmente sozinhas. Ao iniciar a leitura, por volta dos seis anos de idade, a criança possui já um repertório de cerca de 5000 palavras e algumas regras gramaticais."

...................................................

"Mais tarde, no 1º Ciclo, a criança passa pela fase das aprendizagens ditas “académicas”, e passa a gostar de aprender a ler, a contar e a escrever, para além de conduzir todas as suas energias e interesses pelo mundo concreto que a rodeia. É uma fase crucial e preditiva das futuras aprendizagens.

Nos 2º e 3º Ciclos e Secundário, o jovem inicia uma exploração de interesses pessoais e profissionais (...) adquire a sua identidade e constrói as bases da sua personalidade. As aprendizagens pressupõem, obrigatoriamente, ir ao encontro do adolescente, das suas motivações, (...)"

...................................................

"A promoção do desenvolvimento infanto-juvenil, por sua vez, não deve obedecer a um ensino dito formal, com conteúdos programáticos rígidos. (...) o aluno aprende observando, imitando e respondendo a constantes estímulos da família, dos educadores e professores, dos irmãos e amigos, da TV, da Internet, das pessoas que vê passar na rua, no supermercado, nas discotescas (mais tarde como adolescente)…Para além disso, a aprendizagem em contexto escolar é um elemento de grande satisfação e felicidade natural para qualquer aluno, dada a sua curiosidade inata, o que as torna automotivadas."

...................................................

"(...) o educador/professor fica, por vezes, repleto de dúvidas e de receios face à escolha da “melhor” educação a dar aos seus alunos. No entanto, promover a aprendizagem destas crianças é um processo relativamente simples, desde que se esteja motivado para tal missão. "

...................................................

"No entanto, o verdadeiro sucesso da aprendizagem não se constrói apenas com metodologias e estratégias; é necessário empenhamento, esforço e envolvimento do aluno. Partindo das matérias mais simples para as mais complexas (Bruner), o aluno tem que ter consciência de que necessita de estudar e praticar as diferentes matérias escolares, de forma continuada, ao longo dos seus estudos. (...) treino de manutenção, ou seja, de automatizar os conhecimentos básicos, para poder dedicar-se depois aos processos mais complexos. "

...................................................

"Para finalizar, a aprendizagem, só será efectivamente efectiva, se houver colaboração família-escola. Família e escola terão que trabalhar para os mesmos fins, e não cada um para seu lado; esses fins são, em suma, o desenvolvimento integral da criança (e do adolescente, mais tarde)."

...................................................

Para a leitura integral do texto clique aqui.

Sem comentários: